segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

TEXTO 216/2016/CIRANDA / MINHA IRREQUIETA ALMA

Minha irrequieta alma
Sobrevoa céus de infinita luz e,

Estende-se por campos verdejantes.
Afoga -se em mares revoltos,
Emerge de sonhos intensos.

Minha irrequieta alma vive de esperança, 

Não sucumbe a dor que rasga corações.
Alça voos nas asas de minha fé em Deus.
Busca viver intensamente cada momento.

Minha irrequieta alma vive do amor

Que recebi das pessoas que me cerca
E daquele que observo na gratuidade da natureza,
Personificando o amor do Criador a todos os filhos.


Isabel C S Vargas.
03.12.2016


Nenhum comentário:

Postar um comentário